A nossa história foi construída com uma mistura de diversas etnias. Nosso espaço geográfico apresentou diferenças na distribuição da população, segundo a cor, o que pode ser explicado pelos diferentes processos de povoamento e de ocupação das regiões.


Os grupos étnicos

A formação da população brasileira é representada pela grande diversidade étnica.

Os grupos étnicos: brancos, negros e indígenas, caracterizaram a cultura brasileira.

Os brancos de origem europeia (portugueses) chegaram ao Brasil, no século XVI, e continuaram a vir durante o período colonial (espanhóis, holandeses, franceses).

E os negros de origem africana entraram no Brasil sob forma de mão-de-obra escrava.

Já os indígenas estavam aqui quando os portugueses chegaram.

Toda essa mistura de culturas que resistiu aos conflitos, massacres e doenças, deu origem à cultura brasileira.


Os povos indígenas e seus costumes.

A miscigenação que caracterizou a população brasileira gerou muitas denominações.

Após a independência do nosso país, vieram os imigrantes (italianos, alemães, eslavos, etc.).

Nas regiões sul e sudeste, predominaram os brancos. Saiba mais

Os negros de origem africana, quando aqui chegaram, seriam cerca de quatro milhões, que se originaram de dois grupos: os bantos e os sudaneses.

Hoje a concentração maior de negros é em áreas em que a mão-de-obra escrava negra foi utilizada com maior intensidade, nas regiões nordeste e sudeste, onde se concentraram as plantações de cana-de-açúcar e os cafezais.


Os negros trabalhando nos cafezais do Brasil.

Os indígenas somaram cerca de cinco milhões de pessoas, na chegada dos europeus. Hoje não chegam a mais de trezentos e cinquenta mil indivíduos. Dos poucos que restaram, a maior parte habita as regiões norte e centro-oeste e outros habitam nas demais regiões. Saiba mais

A situação das três etnias é bem diferente, na atualidade. Mesmo com toda a mistura, ainda existe muito preconceito.

Os indígenas, por exemplo, não conseguiram se tornar cidadãos brasileiros. Muitos hoje vivem em reservas demarcadas pela FUNAI (Fundação Nacional do Índio) e outros estão em terras na região norte, sobrevivendo a toda modernidade e o tal progresso. Outros, ainda, estão em estradas e nas cidades vendendo o seu artesanato para poderem sobreviver.

Já que não possuem mais as florestas, os rios para pescar e a terra para plantar e vivem com o que lhes sobrou.

Em relação aos negros, que conseguiram fazer parte desta sociedade, a qual ajudaram a formar através de suas contribuições, muitos deles, estão trabalhando em empregos de posição inferior e outros tantos, marginalizados.


Os grupos de miscigenação

Em relação à miscigenação, ou seja, a misturas das três etnias (brancos, negros e indígenas), tivemos a seguinte classificação: mulatos, caboclos e cafuzos, também chamados mestiços ou pardos.

Os mulatos são a mistura de brancos e negros. Hoje correspondem a cerca de 24% da população e estão concentrados nas regiões nordeste e sudeste.

Os caboclos são uma mistura de brancos e indígenas. Hoje representam cerca de 16% da população brasileira. Sua maior concentração se dá na porção mais interiorana do nosso Brasil.

Os cafuzos são uma mistura de negros e indígenas. São muito raros. Representando pouco mais de 3% da população do nosso Brasil. A sua maioria está localizada na Amazônia, no centro-oeste, e também no nordeste do nosso país. Saiba mais

 

Os grupos africanos trazidos para o Brasil

Os principais grupos africanos que vieram para o Brasil no período colonial foram: os Bantos e os Sudaneses.

Os Bantos eram tribos de negros que viviam no sul da África, mais exatamente, em Angola e Moçambique. Ao chegarem ao Brasil, em navios negreiros, foram levados para trabalhar como escravos, principalmente, em Pernambuco, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Os Sudaneses eram tribos de negros, localizadas na Nigéria e Guiné. Ao chegarem, foram trabalhar como escravos, principalmente na Bahia.

Observe as linhas de tráfico negreiro que os Bantos e os Sudaneses percorreram.


Mapa-Múndi, localizando a trajetória do tráfico negreiro da África para as Américas, Oriente e Mediterrâneo.

Esses negros que vinham da África chegavam ao litoral do Brasil, em grandes navios negreiros, chamados também de tumbeiros.

Saiba mais sobre os navios negreiros e sobre a formação do povo brasileiro.


As contribuições culturas das etnias

São muitas as influências culturais dos indígenas na formação da cultura brasileira. Seja na alimentação (mandioca, milho), nos objetos de utensílios (rede de dormir, canoa, instrumentos musicais), no vocabulário (palavras da língua tupi, como tatu, abacaxi, jacaré e outras), nas técnicas (preparo da mandioca e da farinha) e nos hábitos (uso do tabaco, banho diário).

É grande a influência negra na cultura brasileira. Na alimentação (feijoada, vatapá, acarajé, pé-de-moleque e outras), na religião (umbanda e candomblé), na música (ritmos musicais como o maxixe, congada), instrumentos musicais (atabaque, berimbau, ganzá, agogô e outros) e também no vocabulário (palavras como batuque, bengala, banana, macumba, samba, cachaça, fubá e outras).

A presença branca, do colonizador também deixou contribuições para a formação da cultura brasileira através da presença dos portugueses. Por exemplo, o idioma que falamos, ou seja, a Língua Portuguesa, a religião católica, e as vestimentas do modo de vida europeu.

As três etnias que foram responsáveis pela formação do povo brasileiro, de sua cultura de seu modo de viver, representam hoje o povo do nosso país, uma miscigenação. Saiba mais


As três etnias formadoras do povo brasileiro.

Quantas contribuições de todas essas etnias para a formação do povo brasileiro! Veja nesta animação, o resultado de tantas misturas.


O folclore brasileiro.

Que lindo! Um povo com tantas diversidades. Mas um povo só, uma gente que trabalha, ri, chora e festeja junto um Brasil, do sul ao norte, de leste a oeste. Um único lugar, gigantesco com tantas histórias e lendas para desvendar. Saiba mais


A diversidade do povo brasileiro.

São tantas contribuições e muitas emoções em uma trajetória de lutas, mas também de muitas alegrias.

Quanto conhecimento, que riqueza a história do nosso povo. Vamos em frente. Muita aventura nos espera!

Continue essa viagem pelo imenso Brasil!